Gravar num estúdio?

Category : FAQ, Opinião
Date : October 10, 2018
Gravar num estúdio?

No mundo da música, é perfeitamente normal um tema ser gravado no sitio X na cidade Y e depois misturado por um técnico noutra cidade ou país, muitas vezes sem haver sequer contacto físico entre os envolvidos.

Isto ocorre por uma série de motivos (preferência do artista/banda por aquele técnico, controlo de custos, etc) e tem vários lados positivos, mas também alguns negativos.

Posso gravar em casa e fica igual ao estúdio?

Provavelmente não vai soar igual. Um bom estúdio não tem apenas um microfone ou pre-amps superiores aos teus. Toda a acústica da sala foi aperfeiçoada, os sweet-spots tanto do gear como da sala já foram encontrados e testados vezes sem conta e, acima de tudo, um bom técnico vai ajudar-te a captar o melhor take possível, antevendo logo a fase de mistura e os problemas que iriam surgir caso gravasses da forma errada.

Problemas encontrados com maior frequência em gravações “home made”:

  • Reverb/ecos da sala captados pelo microfone: Tratamento acústico insuficiente, sala pequena demais, mau posicionamento do mic/fonte, etc.
  • Distorção/ruído: Não é necessário captar alto para soar alto; há também que ter em conta que algumas placas de som incluem um limiter digital que te vai induzir em erro se andares próximo dos 0dB; um vocal captado entre os -15dB e -10dB está perfeito!
  • Microfone demasiado próximo da fonte/parede: para 99% dos casos, não vais precisar de gravar com o artista em cima do microfone; uns 30cm são suficientes; se for uma voz poderosa mais distancia ainda. Como já referido antes, o tratamento acústico duma sala é imperativo, mas vemos muitos casos de artista que gravam virados para uma parede. Queremos sempre a maior distancia possível até ao primeiro ponto de reflexão/eco, ou seja, ficar talvez num canto e apontar ao canto mais longínquo.
  • Desafinação/desalinhamento: nalguns temas da actualidade o auto-tune é usado de forma explicita e criativa, acabando por disfarçar alguns erros neste campo. Contudo, quando queres que a tua voz soe natural – num tema acústico por exemplo – é fundamental não só que graves o mais próximo possível da afinação correcta, como que alinhes vários takes que queiras sobrepor de forma perfeita. Nada soa pior ao ouvido humano do que duas palavras ditas ao mesmo tempo, mas com um ligeiro desfasamento. Se queres que o teu refrão tenha 4 takes a tocar em simultâneo, escolhe o melhor e compara com os outros 3. Vê se alguma silaba ou palavra se destaca e salta fora de tempo. Evita que isso aconteça.

Costuma-se dizer que deves gravar como se não houvesse mistura, e misturar como se não houvesse mastering. Ou seja, nunca deixar passar um erro esperando que o interveniente seguinte o corrija. Acima de tudo nunca caias no erro de dizer a um engenheiro algo como “depois corriges na mistura”. Ele não vai demonstrar, mas por dentro vai-se rir muito e fazer de ti um meme.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

@