Acústica

Category : FAQ
Acústica

Que material devo comprar?

Acho que a melhor pergunta será: tenho um espaço em condições para gravar? Um ponto decisivo numa gravação é a acústica, independente do que se vai gravar. A acústica pode jogar contra ou a favor, dependendo do que se grava. Por exemplo, é interessante gravar um ensemble numa igreja, se esta tiver um tempo de reverberação interessante, mas não é muito interessante gravar uma voz rock/pop/rap numa igreja, a não ser, claro, que seja uma decisão criativa ou com algum conceito. Regra geral uma voz rock/pop/rap deve ser gravada o mais “seco” possível, ou seja, ouvindo a voz depois de gravada, não se ouça o som da sala.

O que é o som da sala?

Reverberação. São as ondas sonoras que passeiam pela sala enquanto se fala e que demoram uns segundos ou milissegundos a terminar. Faz o seguinte, entra numa sala da tua casa e experimenta bater uma “palma” e presta atenção ao som que sucede à “palma”. Isso é reverberação e cada sala tem o seu tempo de reverberação, o seu próprio reverb. Reverb não é mau, todas as músicas que ouviste até hoje têm algum tipo de reverb, natural ou digital.

O que posso fazer para melhorar as minhas gravações?

Por falta de espaço ou simplesmente por conveniência há quem grave quase no centro da sala. Há quem tenha uma cabine de gravação improvisada num armário, isso pode ou não resultar, pode eventualmente ter um som tipo “caixa” em que a voz parece abafada, ou até dar um tom mais “nasalado” (por falta de melhor palavra). Estas nem sempre são as melhores opções. O microfone funciona como um ouvido, se estás a gravar no meio de uma sala, ele capta tudo que estiver a acontecer nesse espaço, incluindo a reverberação da sala, e é isso que temos de controlar. O preferível, se houver espaço, é ter um canto onde se possa colocar umas mantas ou edredons, caso não haja verbas para umas esponjas acústicas – ou se os teus pais, como os meus, não te deixam colar ou pendurar tratamento acústico em casa. A melhor posição será de costas para o canto. Há uns “filtros” que andam em voga que se colocam entre a sala e o micro (exemplo: vicoustic flexi screen lite http://www.thomann.de/pt/vicoustic_flexi_screen_lite.htm ), isso ajuda, mas também dá para improvisar sempre algo com mantas para criar uma espécie de divisória/biombo entre ti e a sala. Percebo que nem todas as salas sejam iguais, nem tenham todas o mesmo formato, mas esta técnica, se bem usada, consegue sempre bons resultados. Segue aqui um layout ilustrativo do que estou a tentar explicar:

Assim cria-se uma espécie de cabine em que se isola o micro do resto da sala e “concentra-se” mais na voz. “E caixas de ovos?” As caixas de ovos funcionam muito bem… para transportar ovos.

@